CAIXA CULTURAL BRASÍLIA APRESENTA CURTA TEMPORADA DE FAUSTO

Inspirado nas obras Urfaust e Fausto I, de Goethe, chega à CAIXA Cultural Brasília o espetáculo Fausto, que comemora os 15 anos de atividades da Cia. São Jorge de Variedades. Feita a seis mãos, de Georgette Fadel e Claudia Schapira, que dividem a direção, e de Alexandre Krug, integrante do elenco, a montagem traz música ao vivo e projeções aos palcos brasilienses. Em cartaz de 1º a 3 de julho, a peça tem ingressos a R$ 20 e R$ 10 (meia), que começam a ser vendidos neste sábado (25).

Fausto tem grande apelo universal por materializar o mito do homem moderno, um homem que busca dar significado a sua vida, tocando o eterno e compreendendo o misterioso. Na peça, o personagem central persegue o conhecimento, quer a essência ou a fonte da vida, a transformação e, diante do sofrimento de sua honesta busca, se lança a um pacto com forças ocultas que realizam e amplificam seus desejos, trazendo consigo as devidas consequências. Mefistófeles é quem responde o seu chamado e Margarida é a primeira vítima desse violento caminho.

Fausto e Mefistófeles representam o homem e seu diabo realizador de desejos, e são conhecidos há mais de cinco séculos. A montagem, no entanto, é extremamente atual e moderna. A adaptação da Cia. para o texto de Goethe alcançou repercussão mundial e foi feita de forma colaborativa com a participação dos atores Krug, Edgar Castro, Marcelo Reis, Patrícia Gifford, Paula Klein e Pedro Felício, e dos músicos Luiz Gayotto, Lincoln Antônio, Nina Blauth e Felipe Massumi. A montagem tem na palavra, no som e na musicalidade seus pontos fortes de composição cênica. Grande parte do texto é dito em coro e em determinadas cenas alguns atores são apenas corpos enquanto outros são as vozes.

A música – indicada ao Prêmio Shell de 2014 – é um dos elementos mais fortes da peça. Três músicos estão em cena tocando cinco instrumentos (piano, violoncelo, guitarra, baixo e bateria) e criam um contraponto entre instrumentos mais clássicos e modernos. Escritas durante a montagem de forma colaborativa, as músicas ajudam a dar voz à história e a atualizar o texto. Algumas cenas musicais remetem a uma opereta e outras têm pegadas mais modernas.

Sobre a Cia São Jorge de Variedades:
Projeto coletivo, criado em 1998, com integrantes da Escola de Arte Dramática e da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, a Cia São Jorge de Variedades tem como tema principal a discussão de questões éticas inerentes à diversidade e os paradoxos da cultura brasileira, desde sua formação, da colonização à contemporaneidade. Pedro o Cru, de 1998, uma montagem do poema dramático do escritor português António Patrício, é o primeiro espetáculo da Cia. Em 1999, montam Um Credor da Fazenda Nacional, resgatando a obra do autor José Joaquim de Campos Leão Qorpo-Santo.

A partir de 2001, o grupo reforça seu vínculo com a cidade, ocupando por dois anos o Teatro de Arena, local em que, em parceria com o Núcleo Bartolomeu de Depoimentos, o Grupo Teatral Isla Madrasta e a Companhia Bonecos Urbanos, desenvolve o projeto Harmonia na Diversidade. Nesse ano, encena Biedermann e Os Incendiários, de Max Frisch. Em As Bastianas, montado a partir da coletânea de contos de Gero Camilo, sob direção de Luís Mármora, o grupo trabalha questões sociais. Em 2007 realizam a montagem de O Santo Guerreiro e o Herói Desajustado (vencedor do Prêmio Shell de melhor figurino), com direção de Rogério Tarifa e 20 atores em cena. Em 2009 monta o espetáculo Quem Não Sabe Mais Quem é, o Que é e Onde Está, Precisa se Mexer, ganhador da categoria especial do Prêmio Shell de Teatro por pesquisa e criação. Em 2012 lançou o espetáculo Barafonda, com quatro horas de duração e um percurso de dois quilômetros pelo bairro da Barra Funda. O espetáculo foi vencedor nas categorias Dramaturgia, Direção e Trabalho apresentado em Rua do Prêmio Cooperativa Paulista de Teatro, além de receber indicações ao Prêmio Governador do Estado de São Paulo como melhor espetáculo do ano e indicação ao Prêmio Shell na categoria especial.

Em 2014, contemplados pela Lei Municipal de Fomento e pelo Prêmio Myriam Muniz, a Cia estreia sua obra comemorativa de 15 anos, Fausto, e, em paralelo, se aventura pela primeira vez numa experiência artística voltada para as crianças e seus familiares e estreia o espetáculo infantil São Jorge Menino, com texto de Ilo Krugli.

Ficha técnica:
Texto – Johann Wolfgang von Goethe.
Dramaturgia – Georgette Fadel, Claudia Schapira e Alexandre Krug – livre adaptação a partir das traduções de Cristine Röhrig, Jenny Klabin Segall e João Barrento. Direção – Claudia Schapira e Georgette Faddel.
Elenco – Alexandre Krug, Edgar Castro, Marcelo Reis, Patrícia Gifford, Paula Klein e Pedro Felício.
Músicos – Luiz Gayotto, Nina Blauth e Filipe Massumi.
Assistentes de Direção – Vicente Ramos e Rafael Guerche.
Direção Musical e Música Original – Luiz Gayotto e Lincoln Antonio.
Cenografia – Rogério Tarifa.
Cenotécnicos e contrarregras: Andreas Guimarães e Edson Luna.
Figurino – Claudia Schapira e Rogério Tarifa.
Preparação Corporal – Renata Melo.
Treinamento Vocal – Luis Päetow.
Desenho de Luz – Aline Santini.
Técnico de luz: Vinícius Andrade.
Engenheiro de Som – Ernani Napolitano.
Técnico de som: Duda Gomes.
Direção de Vídeo – Bianca Turner.
Opera dora de vídeo: Vic Von Poser. Produção – Isabel Soares.
Fotos e Vídeo – Cacá Bernardes e Bruna Lessa.


Serviço

Fausto, com a Cia. São Jorge de Variedade
Local: Teatro da CAIXA Cultural Brasília (SBS Quadra 4 Lotes 3/4)
Dias: 1º a 3 de julho de 2016
Hora: Sexta-feira e sábado, às 20h; domingo, às 19h
Classificação Indicativa: não recomendado para menores de 16 anos
Duração: 140 minutos
Ingressos: à venda a partir de 25 de junho| R$ 20 e R$ 10 (meia)
Meia-entrada: estudantes, professores, funcionários e clientes CAIXA, pessoas acima de 60 anos e doadores de agasalho.
Bilheteria: de terça a sexta e domingo, das 13h às 21h, e sábado, das 9h às 21h. Contato: (61) 3206-6456
Capacidade: 406 lugares (8 para cadeirantes) | Acesso para pessoas com deficiência e assentos especiais
Patrocínio: CAIXA e Governo Federal

==> Foto: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário