Há 26 anos, homossexualidade deixa de ser considerada doença, mas homofobia persiste

A data passou a ser comemorada como o Dia Internacional contra a Homofobia, instituída no Brasil como Dia Nacional de Combate à Homofobia em 7 de junho de 2010 por decreto assinado pelo então presidente Lula às vésperas da XIV Parada do Orgulho LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros).

A Editora Unesp selecionou, entre os títulos de seu catálogo, livros que permeiam essa questão ainda tão debatida por diversos âmbitos da sociedade. 

 

A transformação da intimidade

A transformação da intimidade
Autor: Anthony Giddens | 228 páginas | R$ 56,00
A revolução sexual do nosso tempo é aqui estudada pelo autor, que questiona muitas das interpretações correntes sobre o papel da sexualidade na cultura moderna. Em última instância, é a transformação da intimidade na qual as mulheres exercem o papel mais importante que, para o autor, assegura a possibilidade de uma democratização radical da esfera pessoal. Giddens, sociólogo inglês reconhecido por seus trabalhos em Ciências Políticas, volta-se aqui às questões provocadas pela revolução sexual. O objetivo é definir os contornos da nova configuração da subjetividade que acompanha essa mudança radical na esfera da sexualidade, uma subjetividade pós-edípica e pós-patriarcal cuja plasticidade é fundamental para a construção de uma noção ampliada de democracia.

O masculino e o feminino no epigrama grego: Estudo dos livros 5 e 12 da Antologia Palatina

O masculino e o feminino no epigrama grego
Autor: Luiz Carlos Mangia Silva | 272 páginas | R$ 52,00
Enquanto, em nossos dias, a discussão sobre gênero esquenta e se amplia, na antiga Grécia tal debate não faria sentido. Nesta obra, Luiz Carlos Mangia Silva oferece uma contribuição importante para uma reflexão sobre o tema e para uma compreensão mais apurada acerca da cultura e do erotismo dos antigos gregos.

Ele analisa mais de 60 epigramas eróticos gregos da Antologia Palatina, parte vertida pela primeira vez para a língua portuguesa, e percebe que, embora pertençam à mesma categoria (eróticos) e tenham características muito semelhantes do ponto de vista da composição, os poemas foram separados no livro 5 e 12 da coleção.

Mangia Silva conclui que a divisão reflete a interferência cristã nas compilações posteriores, em que os epigramas foram distribuídos conforme o destinatário – a amada ou o amado: “A separação, de um lado atende a uma expectativa cristã relativa à expressão sexual, de outro escamoteia um importante traço da cultura grega: o da experiência unívoca da sexualidade”.


Autor: Romeu Gomes | 96 páginas | R$ 18,00
Manter-se informado é um dos primeiros passos para ser saudável. Em uma conversa de homens, também aberta às mulheres, este livro articula ideias sobre cuidados com a saúde, enfatizando os hábitos a serem cultivados e destacando os que devem ser abandonados. Também discute formas de se prevenir violência entre homens e mulheres e questões de sexualidade, como disfunção erétil, ejaculação precoce, prevenção das doenças sexualmente transmissíveis, homossexualidade e infertilidade.

==> Foto: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário