SUPERLIGA FEMININA 15/16: Rexona-AdeS é campeão pela 11ª vez

O maior vencedor da história da Superliga feminina de vôlei conquistou mais um título na manhã deste domingo (03.04), no ginásio Nilson Nelson, em Brasília (DF). O Rexona-AdeS (RJ) bateu o Dentil/Praia Clube (MG) por 3 sets a 1 (25/18, 26/28, 28/26 e 28/26), em 2h18 de jogo, e garantiu o 11º título de sua história em uma final inédita, já que o time mineiro chegou a grande decisão pela primeira vez.
 

A equipe carioca foi campeã diante de 11 mil pessoas, que lotaram a casa e fizeram uma bonita festa em Brasília. O ginásio, dividido nas cores azul, do Rexona-AdeS, e amarelo, do Dentil/Praia Clube, contou com uma estrutura especial voltada para o público, para os profissionais das TV´s que transmitiram a partida, Globo e SporTV, e para a imprensa que trabalhou no evento.
 

Com um apoio oferecido pela Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) à Superliga durante toda a competição, o time dirigido pelo técnico Bernardinho subiu ao lugar mais alto do pódio depois de sofrer apenas duas derrotas nesta edição - uma para Concilig/Vôlei Bauru (SP) na fase classificatória e outra para o Vôlei Nestlé (SP) na semifinal.
 

Nesta manhã, o Rexona-AdeS contou com boa atuação da ponteira Natália, eleita, por votação popular, no site da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), a melhor jogadora da partida. Porém, a jogadora preferiu passar o Troféu VivaVôlei para sua companheira, Monique, já que considerou esta a melhor atleta em quadra. A maior pontuadora da partida final foi a ponteira do Rexona-AdeS, Gabi, com 21 pontos.
 

Líder de todo o grupo 11 vezes campeão, o técnico Bernardinho destacou o valor do resultado conquistado neste domingo e elogiou o vice-campeão. "A maturidade do time acabou contando a nosso favor. É o hábito de tantos momentos dessa natureza. Mas, o Dentil/Praia Clube está de parabéns. Além de valorizar a nossa conquista, fez um trabalho incrível. É muito bacana acompanhar isso florescendo dessa maneira", destacou Bernardinho.

Pelo lado do Dentil/Praia Clube, a central Walewska comemorou o resultado conquistado pelo clube de Uberlândia também fora de quadra. "O Praia chegou para ficar, esta é a história que deixamos. O time hoje tem uma base e é muito difícil conseguir isso. O time do Rexona-AdeS já tem essa base e se fortalece a cada temporada. Ainda falta um pouco ainda para ganhar do Rio, mas hoje elas viram que a coisa estava difícil e que poderiam perder o jogo. Isso também é importante", disse a central do time mineiro.
 
O JOGO
 

O Dentil/Praia Clube começou melhor a decisão e abriu 3/1. O Rexona-AdeS buscou e deixou tudo igual em 3/3. O time carioca, então, virou o jogo e abriu vantagem em 7/5. A diferença aumentou ainda mais em 12/8 e, neste momento, Picinin pediu tempo. Bem no bloqueio, a equipe de Uberlândia encostou no placar (12/11) e foi a vez de Bernardinho parar o jogo. No bloqueio individual de Gabi, o Rexona-AdeS voltou a abrir: 14/11. O set seguiu favorável ao time do Rio, que colocou cinco de diferença em 18/13 e aumentou ainda mais em 20/14. O Rexona, então seguiu melhor e, no bloqueio, fechou em 25/18.
 

No início do segundo set, o Rexona-AdeS logo abriu 2/0. Melhor em quadra, a equipe carioca ainda chegou a 5/0. Com ponto de bloqueio de Juciely, o time do Rio fez 7/2. O Dentil/Praia Clube reagiu e, quando reduziu a desvantagem para 7/5, Bernardinho pediu tempo. O time mineiro buscou o placar e deixou tudo igual em 8/8. A parcial seguiu empatada (13/13) e, na sequência, o time de Bernardinho fez 16/13. O Praia Clube encostou em 18/17 e o set ganhou ainda mais emoção. Com Ramirez no bloqueio, o Dentil deixou tudo igual (19/19) e Bernardinho pediu tempo. Depois de uma bola bastante disputada, o Rexona-AdeS pontuou e fez 21/19. O Dentil/Praia Clube buscou o placar e encostou em 23/22 e, no bloqueio, chegou ao ponto de empate (24/24). No bloqueio de Malu, o time mineiro fez 27/26 e a parcial seguiu disputada e, com outro ponto neste fundamento, fechou em 28/26.

Embalado pela vitória no set anterior, o Dentil/Praia Clube abriu boa vantagem em 6/3, quando Bernardinho pediu tempo. A equipe mineira seguiu bem e, com Michelle, fez 8/4. A vantagem da equipe de Uberlândia ainda foi a 11/7. No bloqueio de Ramirez, o Praia ainda fez 14/9. O técnico do Rexona-AdeS mexeu no time, mas o Dentil/Praia Clube seguiu na frente: 16/12. No ace de Ramirez, o time mineiro fez 17/12. Com ponto de bloqueio de Walewska, o placar foi para 19/13 e Bernardinho parou o jogo. O time carioca, então, reagiu e, quando reduziu a vantagem adversária para 20/17, Picinin pediu tempo. As mineiras voltaram com ritmo forte e chegaram a 23/18. O Rexona-AdeS demonstrou poder de reação e, no contra-ataque de Gabi, chegou ao empate em 23/23. O set seguiu extremamente equilibrado (25/25). Com dois bloqueios seguidos de Carol, o Rexona fechou 28/26.
 

O time do Rio de Janeiro o quarto set com ritmo forte, abrindo 6/1. O Dentil/Praia Clube, então, reagiu e, quando aproximou em 6/4. Bernardinho pediu tempo. O Rexona-AdeS voltou a pontuar bem e fez 9/6. O placar ficou apertado, quando a equipe carioca fez 14/13, mas, no bloqueio de Walewska, o Praia assumiu o comando do marcador em 17/16. Com Monique pontuando bem, o Rexona-AdeS colocou dois pontos de vantagem no set que poderia ser decisivo: 20/18. O time carioca seguiu melhor e chegou a 22/19. O Praia buscou e deixou tudo igual em 22/22 e, depois, com Natasha, fez 23/22. O set chegou a 24/24, ganhando ainda mais emoção. No bloqueio simples de Natália, o Rexona fez 25/24. No final, o time do Rio fechou em 28/26.
 
EQUIPES
 

REXONA-ADES - Roberta, Monique, Juciely, Carol, Gabi e Natália. Líbero - Fabi
Entraram - Drussyla, Court
Técnico: Bernardinho

 

DENTIL/PRAIA CLUBE - Claudinha, Daymi, Natasha, Walewska, Michelle e Alix. Líbero - Tássia
Entraram - Ju Carrijo, Malu, Pri Daroit
Técnico: Ricardo Picinin

A temporada brilhante de Natália
A temporada foi brilhante. Natália ajudou o Rexona-AdeS a chegar ao 11º título da Superliga feminina de vôlei de forma decisiva. Não foi apenas mais uma. Ela foi, para muitos, a jogadora mais especial da equipe carioca na edição 2015/2016 da Superliga. Na final, não gostou da própria atuação. Abriu mão do Troféu VivaVôlei após ser eleita a melhor da partida e presenteou a companheira de time, Monique com o prêmio.

 

Depois disso, a jogadora falou sobre a partida final e elogiou o desempenho do adversário. "Elas vieram determinadas a fazer um jogo duro com o nosso time e a ganhar essa final. Tecnicamente, elas mudaram uma passagem de rede, da Michelle com a Alix, e isso fez com que o ataque delas ficasse melhor. O Praia fez um ótimo jogo. Foi difícil superá-las. A vitória podia ser para qualquer lado", destacou Natália.
 

Resultado de uma grande superação, depois de duas cirurgias na canela, onde foi encontrado um tumor, a jogadora se emociona ao relembrar tudo que já passou e, agora, ao comemorar seu quarto título de Superliga - três com o próprio Rexona-AdeS e um com o time representante de Osasco (SP).
 

"Nessa mesma época, há quatro anos, eu não sabia nem se ia jogar vôlei, não estava treinando e assisti a final da arquibancada. Lembro que foi a fase que eu mais chorei na vida. Me emociono agora porque não foi nada fácil. Me sentia impotente de não poder ajudar a equipe dentro de quadra. Mas, hoje, fico feliz porque pude colaborar da melhor maneira possível, mesmo que não tenha feito a melhor partida da temporada. O bom é que time é isso. Quando uma não está tão bem, as outras ajudam e isso fez a diferença na final", afirmou Natália.
 

Passados quatro anos do momento dramático, a ponteira campeã acredita estar ainda melhor. "Acho que estou até melhor do que naquela época. Vamos evoluindo, amadurecendo, melhorando o lado psicológico e fisicamente estou melhor. Não sei se estou pior ou melhor do que antes, mas estou feliz e isso é que importa", concluiu uma alegre Natália.

A hora decisiva de Roberta
Aos 26 anos, Roberta vive um dos melhores momentos da carreira. Em 2015, foi convocada pela primeira vez para a seleção adulta, ficou com o título do Sul-Americano e a medalha de bronze no Grand Prix. Nesta temporada, brilhou em momentos decisivos na semifinal e na decisão foi a levantadora titular do time carioca.

 

A jogadora comentou sobre o fato de disputar sua primeira final como titular e da emoção e de conquistar seu quarto título.
 

"Fico muito feliz com o título e a temporada que tivemos. Foi a minha primeira final como titular e a emoção é indescritível. A equipe e a comissão técnica me apoiaram em todos os momentos. O nosso time foi muito regular durante toda a temporada e merecia essa vitória", afirmou Roberta, que ainda ressaltou a força do conjunto carioca.
 

"Somos uma equipe e esse é o nosso diferencial. Joguei tranquila e não senti a pressão em nenhum momento e isso só foi possível porque tenho a sorte de jogar em um grupo incrível", finalizou Roberta.
 
Centrais em grande fase
As duas centrais titulares do Rexona-AdeS, Juciely e Carol, tiveram uma temporada marcada por grandes atuações e momentos de superação. Carol chegou para a final na liderança dos rankings de saque e bloqueio, enquanto Juciely superou uma contusão no joelho que deixou ela de fora de algumas partidas da temporada para ser um dos destaques da decisão, com 18 acertos.

 

"Tive uma temporada difícil, na qual superei uma contusão complicada e preciso agradecer a todo o apoio da comissão técnica. Eles ficaram brincando comigo que eu sou como o filme "O Curioso Caso de Benjamin Button", mas não foi fácil. Tivemos uma série difícil na semifinal e uma decisão contra um grande time que dificultou muito a nossa vida", disse Juciely.

Companheira de posição de Juciely, a central Carol agradeceu o apoio do grupo carioca durante toda a Superliga.
 

"Sou uma pessoa realizada de estar onde estou, e poder trabalhar no time do Rexona-AdeS, com pessoas que eu admiro, tanto a comissão, quanto as atletas. Fico muito feliz de estar presente em mais um título neste projeto maravilhoso que já tem 19 anos. Só tenho a agradecer à comissão técnica por todo o suporte, por me ajudarem a evoluir. E queria parabenizar todo o grupo", afirmou Carol.
 
GALERIA DE FOTOS
http://superliga.cbv.com.br/imprensa-superliga/galeria-de-fotos/item/4020-brasilia-df-03-04-2016-final-feminina-rexona-ades-rj-x-dentil-praia-clube-mg

 
SUPERLIGA FEMININA 2015/2016
FINAL
03.04 (DOMINGO) - Rexona-AdeS 3 x 0 Dentil/Praia Clube (25/18, 26/28, 28/26 e 28/26)

==> Foto: Dalton Jendiroba / EsporteCultura

1 comentários:

José do Patrocínio Nogueira Jr disse...

Site completo, o melhor de Brasília

Postar um comentário