O samba de roda da Bahia na Caixa Cultural

A Caixa Cultural começa a terceira temporada do projeto Samba de Bamba com o cantor e compositor baiano Roque Ferreira. O show acontece no dia 13 de abril, quarta-feira, às 20 horas, no Teatro da CAIXA (SBS Quadra 4 Lotes 3 e 4 - Edifício anexo à matriz da Caixa). Na ocasião o sambista, acompanhado por um quarteto musical, apresenta show inédito para o projeto e vai contar a história do candomblé da Bahia com suas músicas.

Roque também realiza uma homenagem à Clementina de Jesus e relembra seus grandes sucessos como “Água da Minha Sede”, “Samba Pras Moças”, “Oxossi”, “Pro Amor Render”, entre outras. O projeto, com patrocínio da Caixa e do Governo Federal, realiza, até dezembro, uma série de dez shows com os expoentes da nova geração do samba brasileiro.

Ao lado de Riachão, Edil Pacheco, Ederaldo Gentil, Nélson Rufino e Batatinha, Roque Ferreira é considerado um dos mais importantes compositores do samba baiano na atualidade. Publicitário, trabalhou em várias agências durante 20 anos, abandonando a profissão para dedicar-se somente à música. Com mais de 400 músicas gravadas, entre seus intérpretes constam Alcione, Martinho da Vila, Beth Carvalho, Zeca Pagodinho, Roberto Ribeiro, Zélia Duncan, Teresa Cristina, Mart'nália, João Nogueira, e Maria Bethânia.

Seu primeiro disco, Tem Água no Mar, foi lançado em 2004. A cantora Roberta Sá lançou em 2010 o CD Quando o Canto é Reza só com músicas de Roque Ferreira. O compositor também gravou, no ano passado, seu mais recente trabalho, Terreiros.

Roque Ferreira
Estudioso da paisagem cultural brasileira, Roque nasceu em 1947 em Nazaré das Farinhas, no interior da Bahia, e começou a fazer samba de roda - gênero característico do recôncavo baiano, com melodia rica, harmonia simples e versos curtos - quando se mudou para Salvador, aos 14 anos de idade.

Pouca gente sabe, mas o nome de Roque Ferreira está presente em muitos discos dos maiores sambistas brasileiros. Desde 1979, quando foi lançado por Clara Nunes no LP Esperança, até os mais recentes discos de Dudu Nobre, Elton Medeiros, Martinho da Vila, Beth Carvalho, entre outros, o compositor tem sido uma referência do samba de roda baiano. São dele duas músicas-títulos da discografia de Zeca Pagodinho: Samba pras Moças e Água da Minha Sede, sem falar na famosa Pro Amor Render, parceria com Dudu Nobre, gravado por Martinho da Vila em 1999. Em 2010, Maria Bethânia gravou sete músicas do compositor em seus discos Encanteria e Tua.

Samba de Bamba
Coordenador e curador do Samba de Bamba, o jornalista e crítico musical Rodrigo Browne, explica que a terceira temporada do projeto reafirma a proposta de mostrar ao público que o ritmo brasileiro há muito tempo transcendeu as fronteiras de rodas de samba consagradas no Rio de Janeiro. “Se por um lado, o recorte temporal do presente projeto se dá a partir das novas vozes reveladas na revitalização musical da Lapa carioca, por outro é importante observar que seus representantes estão espalhados por todo o país”.

Até dezembro serão apresentados na Caixa Cultural dez shows com os expoentes do autêntico samba brasileiro, que interpretam o gênero mais popular do Brasil, com o compromisso de apresentar no repertório composições que respeitam o nosso passado cultural e que, ao mesmo tempo, mostram que é possível renovar (em letras e arranjos) sem, contudo, descaracterizar nossa música autêntica.

Browne adianta que em Brasília vão passar sambistas de Minas Gerais, Bahia, São Paulo, Pernambuco e Rio de Janeiro. “São artistas com um repertório de samba verdadeiro, que não precisa do adjetivo ‘de raiz’. Samba é samba. Nossa tradição sempre fala mais alto e, como diria o compositor Paulo César Pinheiro, o importante é que, no final de cada apresentação, nossa emoção sobreviva”.

O projeto, traz em cada apresentação um formato semelhante com o que ele já realiza há 20 anos no seu programa Samba de Bamba na rádio E-Paraná FM, em Curitiba. Durante a transmissão os sambistas convidados comentam a escolha de seus sambas prediletos. “No palco, durante o show, cada artista vai fazer o mesmo, contando o porquê de suas escolhas e quais são suas influências. Acredito que, assim, o público possa conhecer um pouco mais do processo criativo de cada sambista e da própria história do samba”, finaliza Browne.

A próxima atração é o sambista paulistano Carlos Navas, dia 9 de maio.

Serviço - Projeto Samba de Bamba. Apresentação musical do cantor e compositor Roque Ferreira
Data: 13 de abril quarta-feira
Horário: 20 horas
Local: Teatro da CAIXA (SBS Quadra 4 Lotes 3 e 4 - Edifício anexo à matriz da Caixa)
Ingressos: R$20 (inteira) e R$10 (meia-entrada) Meia-entrada para estudantes, professores, funcionários e clientes CAIXA, pessoas acima de 60 anos, doadores de item solicitado no mês e assinantes do Correio Braziliense.
Duração: 1h30
Classificação indicativa: 12 anos
Lotação: 406 lugares
Informações à imprensa: Guilherme Tavares (61 92185001) e Amanda Bittar (61 95530353) – umnomecomunicacao@gmail.com

SUGESTÃO DE BOX

CALENDÁRIO SAMBA DE BAMBA 2016

PROGRAMAÇÃO
Shows sempre às 20h.

Roque Ferreira (BA)
13/04/2016 (quarta-feira)

Carlos Navas (SP)
09/05/2016 (segunda-feira)

Marcelinho Moreira (RJ)
31/05/2016 (terça-feira)

Karynna Spinelli (PE)
14/06/2016 (terça-feira)

Jussara Silveira (MG/BA)
11/07/2016 (segunda-feira)

Karla da Silva (RJ)
09/08/2016 (terça-feira)

Gloria Bonfim (BA)
13/09/2016 (terça-feira)

Zé da Guiomar (MG)
18/10/2016 (terça-feira)

Tempero Carioca (RJ)
08/11/2016 (terça-feira)

Cris Pereira (DF)
02/12/2016 (sexta-feira)

==> Foto: Mariangela Guimarães

0 comentários:

Postar um comentário