Mapa Gentil inaugura roteiro de arte urbana

O Mapa Gentil está de volta e inaugura no próximo dia 9 de setembro, segunda-feira, a partir das 15h, o Roteiro de Arte Urbana composto por obras produzidas pelos alunos do Centro de Ensino Médio Escola Industrial de Taguatinga – CEMEIT e pelos artistas convidados para ministrar as Oficinas Criativas. São cerca de 70 intervenções urbanas feitas pelos alunos, espalhadas pelo centro de Taguatinga.

Para celebrar a inauguração das visitas ao Roteiro de Arte Urbana do Mapa Gentil será realizado um cortejo que irá do CEMEIT à Praça do Relógio para levar muita festa, música e gentileza às ruas da cidade. O cortejo de lançamento do Mapa Gentil apoia ainda o movimento Viva EIT, que defende o tombamento do Centro Cultural Teatro da Praça, que abrange a Biblioteca Pública Machado de Assis, a Biblioteca de Libras, a sede da Associação Taguatinguense de Letras e o CEMEIT. O Teatro da Praça é um dos espaços públicos mais tradicionais de Taguatinga. Foi inaugurado em 1966 e tem 261 lugares. Para animar o cortejo foram convidados pelo Mapa Gentil o grupo Calampiango e seus Curiscos, que será acompanhado pelo Jegue Elétrico do grupo MamaTaguá

As visitas serão feitas no formato aulas-passeio e são direcionadas para instituições de ensino médio das redes pública e privada de segunda a sexta-feira e para a comunidade aos sábados. Uma equipe especialmente preparada, conduz essa galeria durante todo o percurso. As inscrições para as aulas-passeio podem ser feitas pelo e-mail programaeducativo@mapagentil.com.br. O Roteiro de Arte Urbana do Mapa Gentil é aberto a todos. Pode ser visitado com os amigos, a família e até mesmo sozinho guiado pelo mapa que será produzido para orientar o percurso.

A ideia é fazer das ruas, utilizando espaços previamente autorizados, uma galeria de arte a céu aberto com obras inspiradas nos ideais do Profeta Gentileza como forma de melhora do convívio social. "Foi o que observou a direção da escola desde a realização da primeira edição do Mapa Gentil, em 2012. Uma melhora considerável do convívio entre elunos, professores  e toda comunidade escolar", conta Janaína André, coordenadora do projeto que propõe ainda uma nova alternativa de turismo para quem visita o DF e para quem vive na capital. "Essa é uma nova possibilidade de turismo em Brasilia porque treina nosso olhar para situações e surpresas inusitadas que a cidade pode nos trazer", afirma a turismóloga Lana Guimarães, responsável pelo programa educativo do Mapa Gentil. 

Este ano foram realizadas cinco Oficinas Criativas em diferentes linguagens; Ju Borgê ensinou como se faz um bom graffiti; Pedro Sangeon compartilhou sua experiência na atuação de Gurulino colaborando na criação de personagens para intervenções; Gérson Deveras comandou a oficina de Palavra e Poesia e realizou performance coletiva ao final dos encontros; Antonio Biancho, em sua oficina de Instalação, mostrou aos alunos como dialogar com a cidade por meio de objetos e materiais usuais. Na última oficina, que termina esta semana, Janaína André se apropria de suportes urbanos para que os alunos se expressem na cidade onde habitam.

Mapa Gentil é um projeto pedagógico e cultural realizado com a escola e comunidade que tem por objetivo realizar uma série de intervenções urbanas como ferramenta de lapidação social e que insere a arte ao cotidiano das pessoas, dando um novo significado ao espaço público, ruas, prédios, paredes e árvores. Além de disseminar a gentileza, o Mapa Gentil também pretende trabalhar a autoestima das comunidades, revelando sutilezas que se perderam em meio à pressa cotidiana.
  
O tema trabalhado este ano é “O MUNDO É UMA ESCOLA”, que estimula a reflexão sobre a diversidade de identidades e saberes, que existem no universo escolar. Oficinas pedagógicas foram oferecidas para professores que também são parceiros do projeto. Durante o ano letivo eles aplicam os Jogos Gentis em sala de aula. Os Jogos Gentis, são instrumentos de contexto, dentro da metodologia do Projeto. Criados por Janaína André, os Jogos foram testados, revisados e receberam colaboração dos professores Flávia Felipe, Cláudia Carmona, Joaci Crispin, Jamil Magari,  Eraldo Souza, Laurivaldo Soares, Fausto de Melo e  Lys Porto, além da riquíssima contribuição das parceiras Lana Guimarães, Karina Perpétuo Guimarães e Karina Canêdo.
  
O conceito do Mapa Gentil - “Gentileza gera gentileza” – essa frase todos nós já ouvimos em algum momento, certo? Mas quantos de nós a coloca em prática no dia a dia? Foi pensando nessa questão que nasceu o Mapa Gentil, um projeto de arte e educação que visa disseminar por meio da arte o conceito de gentileza pela cidade junto a alunos da rede pública de ensino. A frase inicial do texto, assim como a inspiração para o projeto, vem de José Datrino, mais conhecido como o profeta Gentileza, que a partir da década de sessenta espalhou o conceito de gentileza pela cidade do Rio de Janeiro. O Profeta escrevia suas mensagens gentis pelos muros da cidade além de distribuir flores e frases aos passantes. Aos que o chamavam de louco, ele respondia: “Sou maluco para te amar e louco para te salvar”.     
           

Sobre o Profeta Gentileza - José Datrino ou profeta Gentileza nasceu no interior de São Paulo, em 1917. Sua infância foi marcada pelo pesado trabalho rural ao lado de seus dez irmãos. Apesar de todas as dificuldades, posteriormente, Datrino se estabeleceu como empresário do ramo dos transportes no Rio de Janeiro, até o início dos anos 60, quando largou tudo  para seguir sua missão de pregar o amor e a gentileza entre as pessoas. O fato que o fez abdicar de seus bens materiais para seguir em pregação foi um triste incêndio em Niterói, no Gran-Circus Norte-Americano – em 1961, que vitimou cerca de quinhentas pessoas, a maioria crianças. No local da tragédia, que antes era palco de tanta alegria, José Datrino plantou hortas e jardim e logo se mudou para o local. Além das flores, nasceu ali o profeta Gentileza, que por quatro décadas disseminou mensagens e ensinamentos pelas ruas do Rio de Janeiro.  Sua obra mais conhecida, realizada em fins dos anos 80, fica próximo à Rodoviária Novo Rio, nos pilares do viadulto do Caju. São cinquenta e seis pilastras que exibem, em verde e amarelo, mensagens que criticam o atual modelo capitalista, apontando uma alternativa pautada pelo amor, pela sustentabilidade e pela gentileza social. Os painéis que embelezavam a paisagem do Rio de Janeiro acabaram sofrendo desgastes e o desprezo de órgãos da cidade, culminando com seu apagamento com tinta cinza em 1997, despertando indignação do povo carioca. Em resposta a esse descontentamento, foi realizado um projeto de revitalização que no ano de 2000 devolveu à cidade os murais do Profeta Gentileza, que ainda hoje estampam nas cinzas pilastras a mensagem de um possível mundo mais colorido, com mais Gentileza.   O profeta Gentileza morreu em 1996, aos 79 anos, e até os dias de hoje é fonte de inspiração para músicos, educadores, cineastas e principalmente para aqueles, que como José Datrino, acreditam na possibilidade de um mundo melhor, de um mundo mais gentil.


Serviço
Lançamento do Roteiro de arte urbana do Mapa Gentil
Dia 9 de setembro (segunda-feira) a partir das 15h
Centro de Ensino Médio Escola Industrial de Taguatinga – CEMEIT
Endereço: QNB 01 – AE 01 Setor Central 
Marcação de aulas-passeio pelo e-mail: programaeducativo@mapagentil.com.br (As visitas serão feitas no formato aulas-passeio e são direcionadas para instituições de ensino médio das redes pública e privada de segunda a sexta-feira e para a comunidade aos sábados).

==> Foto: Paula Carrubba

0 comentários:

Postar um comentário