Filósofo alemão discute formulações de justiça e tolerância na atualidade

Remonta aos tempos de Platão a preocupação da filosofia política em pontuar os princípios válidos para o exercício legítimo ou justo da dominação política. E é a partir desta ideia que o professor Rainer Forst constrói seu raciocínio em Justificação e crítica: perspectivas de uma teoria crítica da política, lançamento da Editora Unesp.           

Em consonância com suas pesquisas mais atuais, Forst encara os conceitos fundamentais da filosofia política e examina sua ligação com uma teoria crítica da política e os possíveis limites de um pensamento voltado à justiça discursiva, “tendo em vista, em primeiro lugar, explicar os conceitos fundamentais da filosofia política para, além disso, examinar quais suas implicações para uma teoria crítica da política e os possíveis limites de um pensamento que tem a justiça discursiva como seu cerne.”           

São nove capítulos divididos em três grandes partes: “Justiça radical”, “Justificação, reconhecimento e crítica” e “Para além da justiça”. Dentre os temas que aborda, Forst examina diferença entre dois modos de pensar a justiça atualmente – um voltado para os bens e os destinatários e o outro, para as relações de dominação. A partir daí, escreve sobre direitos humanos, ordem normativa da justiça e da paz, tolerância, reconhecimento e reconstrói o significado do conceito de “dignidade humana”.           

O autor também dialoga com Ibsen, Cavell e Adorno para discutir os limites da justiça e também se a ordem justa é a única adequada ao modo de vida humano, debruçando-se, por exemplo, sobre os caminhos para que não se percam a autonomia e a liberdade política na sociedade moderna.           

“Está na hora de voltarmos a lembrar os elementos políticos da filosofia política e conceber a questão filosófica da fundamentação como uma questão prática, isto é, radicalizar e, ao mesmo tempo, contextualizar a ideia de justificação”, escreve. Segundo seus escritos, a justificação não se mostra de forma abstrata, mas concretamente, por “agentes históricos que não mais se dão por satisfeitos com a justificação da ordem normativa a que estão subordinados.”

Sobre o autor - Rainer Forst é professor na Johann Wolfgang Goethe-Universität, em Frankfurt, e integrante da geração mais recente da Teoria Crítica. Suas principais áreas de pesquisa são teoria política, tolerância e justiça política e social. Em 2012, ganhou o prestigioso prêmio Gottfried Wilhelm Leibniz.

Autor: Rainer Forst
Tradutor: Denilson Luis Werle
Número de páginas: 325
Formato: 14 x 21 cm
Preço: R$ 84,00
ISBN: 978-85-393-0757-9

==> Foto: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário