7 na Roda estreia o projeto "O Samba Tá Aí em Ceilândia", em apresentações gratuitas

A partir do dia 6 de outubro, o 7 na Roda visita os quatro cantos do Distrito Federal, fazendo circular o samba produzido na cidade. A primeira parada do projeto O Samba Tá Aí é na Praça da Bíblia, em Ceilândia. No dia 21, o grupo se apresenta na Torre de TV e, no dia 27, na Praça Teodoro Freire (Sobradinho). A série de shows tem encerramento em novembro, na Feira Permanente do Gama. Todas as apresentações têm entrada franca e classificação indicativa livre.

Além de saudar os movimentos de samba de cada região do DF, o projeto lança o álbum “Convocação”, segundo disco do 7 na Roda. Em maio de 2018, Breno Alves (pandeiro e voz), Kadu Nascimento (tantã, surdo e voz), Vinícius de Oliveira (banjo e voz), Guto Martins (percussão), Pedro Molusco (cavaquinho), Jackson Delano (sopros) e Rodrigo Dantas (violão 7 cordas) lançaram o CD na Caixa Cultural Brasília, mas eles perceberam que aquele show não podia ficar restrito a apenas um dia e um lugar.

“O disco tem a participação de 16 de compositores de várias cidades do DF. É importante mostrar esses artistas para o público. Levar o ‘Convocação’ para cidades onde o samba já tem um lugar cativo é uma honra. Queremos divulgar ao máximo esse CD, que é um presente para o DF, pois mostra o que tem sido produzido aqui”, diz Breno Alves.

Além das 13 faixas do álbum, o repertório das apresentações terá canções de outras pratas da casa. Em cada cidade, convidados especiais animam o público com músicas próprias ou de outros músicos do DF. Em Ceilândia, o 7 na Roda recebe Fábio Vasconcelos e Gustavo Bier; na Torre de TV, Kris Maciel, Teresa Lopes, Milsinho e Dudu 7 Cordas; em Sobradinho, Jamelinha da Mangueira e Nenel Vida; e no Gama, Jean Mussa e Diego Pedigree.

“É muito bom poder levar nosso samba para a rua. O samba é nossa herança popular que fala sobre várias questões e une as pessoas. É ali que que podemos falar e cantar nossas verdades e sentir o público de um jeito diferente, mais próximo”, comenta Vinícius de Oliveira.

Trajetória
Em 2017, o grupo completou 10 anos de estrada e mostrou ao público uma série de novidades, entre elas, a mudança do nome do grupo. O anúncio do novo nome aconteceu em outubro, durante o show em comemoração a uma década de carreira.

Os músicos, que há 11 anos tocam no Outro Calaf (antes, Bar do Calaf), lançaram o primeiro disco, “Mensageiros do Samba”, em 2013, no Teatro da Caixa. Com 13 faixas, o CD uniu a produção da cidade – com músicas de Vinícius de Oliveira, Breno Alves, Amílcar Paré e Artur Senna – com temas de baluartes, como Nelson Cavaquinho e Carlos Elias.

Ícone da Velha Guarda da Portela, mestre Monarco participou da gravação de “O felizardo”, música sua em parceria com o filho, Mauro Diniz.


SERVIÇO:

Dia 6 de outubro, sábado, às 18h, na Praça da Bíblia (QNP 19, P Norte, Ceilândia).
Participações especiais de Fábio Vasconcelos e Gustavo Bier.
Entrada franca. Classificação indicativa livre.

Dia 21 de outubro, domingo, às 11h, na Torre de TV (Eixo Monumental).
Participações especiais de Kris Maciel, Teresa Lopes, Milsinho e Dudu 7 Cordas.
Entrada franca. Classificação indicativa livre.

Dia 27 de outubro, sábado, às 18h, na Praça Teodoro Freire (Quadra 8, Conjunto A,
Sobradinho).
Participações especiais de Jamelinha da Mangueira e Nenel Vida.
Entrada franca. Classificação indicativa livre.

Novembro (data a confirmar), às 11h, na Feira Permanente do Gama (QNO, Quadra 1).
Participações especiais de Jean Mussa e Diego Pedigree.
Entrada franca. Classificação indicativa livre.


==> Foto: Thaís Mallon

0 comentários:

Postar um comentário