Coletânea de ensaios resgata sociologia universal de Gabriel Tarde

Nesta leitura, objeto de estudo da ciência seria a natureza social dos mais diversos tipos de fenômenos, não apenas humanos, mas também celulares, atômicos, químicos e biológicos

Acostumou-se a pensar a sociologia a partir dos olhos de Émile Durkheim, seu “pai fundador”. Porém, ao adotar este prisma, pode-se perder uma visão divergente que tem muito a acrescentar ao debate sociológico, levantada pelo francês Jean-Gabriel Tarde. É com base neste objetivo, de fornecer ao leitor outra perspectiva enriquecedora da ciência sociológica, que vem a lume o título Monadologia e sociologia: e outros ensaios, lançamento da Editora Unesp.

“Tudo indica que estes ensaios foram os primeiros escritos por Tarde; foram também os mais ousados, dirão uns, os mais delirantes, dirão outros, os mais metafísicos, provavelmente aquiescerão uns e outros”, anota Eduardo Viana Vargas, organizador dos textos. O primeiro, que titula o livro, relaciona os estudos sociológicos ao sistema de mônadas, ou as “substâncias simples” de Leibniz, que fundamentariam o universo como sua menor parte. “Entre outras coisas, ele vem mostrando de maneira enfática que, para Tarde, o que conta não são os indivíduos, mas as relações infinitesimais de repetição, oposição e adaptação que se desenvolvem entre ou nos indivíduos, ou melhor, num plano onde não faz sentido algum distinguir o social e o individual”, aponta Vargas.

A fundamentação da sociologia tardiana estaria na diferença, produzida por duas forças que atuam concomitantemente nos seres: a “crença” e o “desejo”. “Pela crença o eu se distingue e distingue; pelo desejo ele se modifica e modifica”, escreve Tarde. Além disso, há espaço ainda para a estruturação da realidade do presente, legada aos dois últimos ensaios teóricos.

A obra ainda traz uma extensa bibliografia para os que desejarem se aprofundar na obra do pensador francês. “Entre outras coisas, a bibliografia evidencia que ele publicou muita coisa e sobre muitos assuntos, quase tudo em vida, e que as publicações foram interrompidas pouco tempo depois de sua morte e apenas recentemente retomadas.”

Sobre o autor – Jurista de formação, Jean-Gabriel Tarde (1843-1904) desenvolveu um pensamento original, difícil de ser classificado, que abrange temas de campos tão diversos como a filosofia, o direito, a criminologia, a psicologia, a economia, o direito e a sociologia. Em vida, foram célebres suas polêmicas com Durkheim – no período de gestação da disciplina sociológica – e com Cesare Lombroso – sobre as raízes da conduta criminal. Após sua morte, a influência de suas teses é reconhecida em um espectro amplo, de Henri Bergson a Bruno Latour, passando por Gilles Deleuze. 

Autor: Gabriel Tarde
Organização e introdução: Eduardo Viana Vargas
Tradutor: Paulo Neves
Número de páginas: 281
Formato: 14 x 21 cm
Preço: R$ 58,00
ISBN: 978-85-393-0717-3 

==> Foto: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário