Estreia nacional 'L O Musical", com Ellen Oléria e Elisa Lucida e elenco - 10/08 no CCBB

A partir de um relicário de canções colhidas da MPB, a montagem “L, O Musical” constrói uma narrativa em que o amor entre mulheres é posto ao centro do palco como um ponto de partida para uma trama inédita, que se sustenta em valores caros ao ser humano, como o direito incondicional de amar livremente, sem regras e imune a preconceitos. Com estreia marcada para 10 de agosto de 2017, no Teatro 1 do Centro Cultural Banco do Brasil de Brasília, a peça segue temporada até 1° de setembro, de quarta a domingo, às 20h. Nos dias 13/08 e 19/08, haverá sessão dupla, às 16h30 e às 20h. E no dia 27/08, haverá um bate-papo após a sessão.

As personagens Ester, Rute, Anne, Simone, Elle, Filipa, Léa e Xena vivem, em cena, as delícias e os conflitos de amar iguais. Sem flertar com panfleto, o espetáculo tem como núcleo central valores como a liberdade, o desejo, os afetos e a identidade humana, que norteiam qualquer indivíduo independentemente da sua orientação sexual ou identidade de gênero. “No caso da mulher lésbica, há uma especificidade muito impactante. Ela sofre uma dupla opressão: a de ser mulher e a de ser lésbica. O machismo e o sexismo são terríveis agravantes”, observa Sérgio Maggio.

Com dramaturgia e direção de Sérgio Maggio (“Eu Vou Tirar Você Deste Lugar - As Canções de Odair José”), direção musical de Luís Filipe de Lima (“Sassaricando”), direção de movimento de Ana Paula Bouzas (“A Cuíca de Laurindo”) e direção de produção de Ana Paula Martins (“Duas Gotas de Lágrimas no Frasco de Perfume”), “L, O Musical” reúne em cena um precioso encontro de atrizes.

Elisa Lucinda (também escritora e poeta consagrada) e Ellen Oléria (atriz de formação, que retorna aos palcos 12 anos depois de ter feito a última peça) encabeçam o cast formado pelas talentosas Renata Celidonio (“Todas as Canções de Chico Buarque”), Gabriela Correa (“As Canções de Odair José”), Tainá Baldez (“As Canções de Odair José”) e Luiza Guimarães (“Três Tigres Tristes”).

O universo de canções que norteia o espetáculo foi montado a partir de pesquisa e referências a cantoras brasileiras que são ora publicamente lésbicas ou bissexuais ora que promovem uma identificação afetiva com esse público. “Realizei uma pesquisa espontânea em comunidades virtuais de lésbicas que me passaram listas de músicas que embalavam seus amores, encontros e desencontros. Além disso, buscamos essa identificação afetiva”, conta Maggio, que assina o roteiro musical ao lado de Ellen Oléria e com supervisão de Luís Filipe de Lima.

Pensado como um processo criativo no qual as atrizes se transformam em artistas-criadoras, o espetáculo teve como referência afetiva o histórico texto dramatúrgico “As Lágrimas Amargas de Petra Von Kant”, de Rainer Werner Fassbinder, que teve uma montagem histórica no Brasil, em 1982, com Fernanda Montenegro, Renata Sorrah, Rosita Thomas Lopes e Juliana Carneiro de Cunha no elenco.

A equipe criadora de “L, O Musical” reúne nomes consagrados da cena teatral brasileira, vindos do Rio de Janeiro e de Brasília. Jones de Abreu (um dos atores mais respeitados da cena brasiliense) é diretor assistente do projeto, enquanto Maria Carmen de Souza (Prêmio Moliere e Mabembe por “A Resistência”, de Maria Adelaide Amaral) assina o cenário. O desenho de luz é de Aurélio de Simoni (um dos iluminadores mais premiados do país, que fez a luz da histórica montagem de “Petra”, em 1982). Carol Lobato (figurinista de grandes musicais nacionais, como “Cinderela”) idealizou e executou o projeto de figurinos. Branco Ferreira (especialistas em som para musicais, como “Contravento”) faz o design de som. Luma Le Roy (que acaba de voltar de uma especialização na França) é a responsável pelo visagismo. Daniela Pereira Carvalho (“Renato Russo”) fez a supervisão de dramaturgia.

Sinopse
Uma renomada autora de novelas está esfuziante com o sucesso do primeiro folhetim a ter um triângulo amoroso formado por mulheres. Ela divide esse cotidiano profissional e afetivo com amigas. A chegada de notícias inesperadas muda o destino de todas. Com repertório que passeia pelo universo de canções femininas, a narrativa segue tecendo relações de afetos entre seis mulheres.   

Depoimento das atrizes
“”L, o Musical” é a primeira peça que eu vejo, depois de “Petra Von Kant”, cujo protagonismo é o amor entre mulheres. Colocar personagens lésbicos em cena é simultaneamente um avanço e um atraso. Avanço porque já fomos muito pior há 20 anos com esse tema. Atraso porque mostra que infelizmente a realidade está muito mais adiantada que a ficção, que deveria ser vanguarda. Tenho 30 anos de carreira e esta é a minha primeira personagem lésbica. Alguma coisa está errada aí”. Elisa Lucinda.

“Um frio na barriga e um calor no coração quando recebi o convite para compor o elenco. Não tive outra resposta além de um entusiasmado "sim". Esse desafio fica mais leve ao lado de atrizes de presença tão forte e uma equipe técnica de peso dentro da linguagem dos musicais. Estou feliz demais e com aquele gostoso frio na barriga com um calorzinho no coração”. Ellen Oléria.

"Estamos diante de uma oportunidade incrível de falar sobre o amor entre mulheres. Não só o amor romântico, mas aquele que vem do respeito e amizade. Esse espetáculo homenageia o amor acima de tudo, que vence preconceitos e padronizações que querem nos definir e aprisionar. É esse o lugar que queremos chegar com nossas vozes." Gabriela Correa.

“O musical fala sobre muitas relações de afeto. No momento em que vivemos falar de afetos, sem que haja temor, é um ato revolucionário. É mesmo possível e preciso amar sem temer”. Luiza Guimarães.

“É um presente e um privilégio integrar um elenco cheio de mulheres tão poderosas e poder abordar questões tão urgentes como o feminismo e a homossexualidade. Não vejo a hora de cantar para o mundo que qualquer maneira de amor vale a pena! Evoé às deusas do teatro”. Tainá Baldez.

"Que maravilha é falar de amor e estar rodeada de mulheres incríveis. Um privilégio em tempos atuais, não é?". Renata Celidonio.

Workshop e bate-papos

Além do espetáculo, haverá um bate-papo com elenco após a sessão do dia 27/08 (véspera do Dia da Visibilidade Lésbica), às 20h, e um workshop gratuito de “Dramaturgia para Musicais”, ministrado por Sérgio Maggio nos dias 19/08 (das 10h às 12h. das 13h às 15h) e 20/08 (das 14h às 17h), no Teatro II do CCBB. Público-alvo: atores, diretores, estudantes e amantes do teatro. Vagas: 20. Inscrições: espetaculol.omusical@gmail.com.

FICHA TÉCNICA:

REALIZAÇÃO E PATROCÍNIO: BANCO DO BRASIL
DIREÇÃO GERAL E DRAMATURGIA: Sérgio Maggio
DIREÇÃO MUSICAL: Luís Filipe de Lima
DIREÇÃO DE MOVIMENTO: Ana Paula Bouzas
DIRETOR ASSISTENTE E DE PALCO: Jones de Abreu
ARTISTAS-CRIADORAS: Elisa Lucinda, Ellen Oléria, Renata Celidonio, Gabriela Correa, Tainá Baldez e Luiza Guimarães
INSTRUMENTISTAS: Carolina Setubal (baixo), Marlene de Souza Lima (guitarra), Nathália Reinehr (bateria) e Janá Sabino (teclado)
DESENHO DE LUZ: Aurélio de Simoni
CONCEPÇÃO DE FIGURINOS: Carol Lobato
CONCEPÇÃO DE CENÁRIO: Maria Carmen de Souza
CONCEPÇÃO DE VISAGISMO: Luma Le Roy
CONCEPÇÃO DE SOM: Branco Ferreira
PREPARAÇÃO VOCAL: Sara Mariano
ROTEIRO MUSICAL: Sérgio Maggio e Ellen Oléria
SUPERVISÃO DE ROTEIRO MUSICAL: Luís Filipe de Lima
SUPERVISÃO DE DRAMATURGIA: Daniela Pereira de Carvalho
ASSISTENTES DE DRAMATURGIA: Ellen Oléria e Yuri Fidélis
FOTOGRAFIA: Diego Bresani
DESIGN GRÁFICO: Chica Magalhães
COORDENAÇÃO DE REDES SOCIAIS: Rosualdo Rodrigues
DIREÇÃO DE PRODUÇÃO: Ana Paula Martins
Concepção e idealização: Criaturas Alaranjadas Núcleo de Criação Continuada


SERVIÇO:

“L, O MUSICAL”
Centro Cultural Banco do Brasil Brasília
SCES, Trecho 2, Lote 22, Brasília - DF
Estreia: 10 de agosto de 2017
Temporada: até 1 de setembro (no CCBB)
de quarta a domingo, às 20h

Sessões extras: Nos dias 13/08 e 19/08, haverá sessão extra, às 16h30

Atenção:
A sessão do dia 25/08 será feita com atriz Luiza Guimarães, stand-in de Ellen Oléria.

Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada)
Clientes BB tem 50% de desconto em até 2 ingressos

Duração: 110 minutos
Recomendação/Classificação: 14 anos
Gênero: Drama musical
Horário da bilheteria: de terça a domingo, das 13h às 21h
Informações CCBB: Tel: (61) 3108-7600
Capacidade do teatro: 325 lugares

==> Foto: Diego Bresani

0 comentários:

Postar um comentário