Malhar em casa economiza tempo e dinheiro, mas exige cuidados

Na correria do dia a dia de trabalho e afazeres domésticos, manter uma rotina de exercícios físicos, muitas vezes, fica em segundo plano. Os compromissos dificultam especialmente a malhação na academia — que exige investimento de tempo e dinheiro.

Nesses casos, a solução mais buscada são os treinos no conforto do lar — que, de acordo com João Paulo Bergamaschi, ortopedista e cirurgião da Clínica Kennedy e médico da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, representam uma opção viável para se manter ativo diante dos impasses do cotidiano.

— Às vezes não dá para ir para uma academia, para uma fisioterapia, para um pilates. A pessoa precisa otimizar o tempo na rotina dela o exercício em casa é uma das formas de fazer isso. Além disso, há pesquisas que mostram, por exemplo, que 70% dos indivíduos em São Paulo não são considerados ativos. Então, se a pessoa consegue se exercitar em casa com alguma regularidade, esse já é um grande primeiro passo.

A personal trainer e preparadora física Lana Pessoa tem a mesma opinião. Depois de tanto ouvir reclamações de mulheres dizendo que não tinham disponibilidade para ir à academia de ginástica, decidiu criar o Missão Fitness — um programa de exercícios online que podem ser feitos em casa dedicado ao público feminino.

— Hoje em dia, a mulher tem várias funções sociais. Precisa trabalhar, precisa ser mãe, precisa cuidar da saúde. Falta tempo. Tem também uma questão daquelas pessoas que estão fora de forma ou se sentem fora de algum padrão de beleza, que têm vergonha de ir à academia. Treinar em casa evita essa exposição, se torna mais confortável.

No programa de Lana, as usuárias têm acesso a vídeo-aulas que, segundo a personal trainer, trabalham todos os músculos e promovem alto gasto calórico. Todo o peso que elas usam é o do próprio corpo, e há opções de exercícios moderados e avançados. A proposta é promover a queima de gordura e, em seguida, moldar os músculos — sem promover necessariamente o ganho de massa muscular. “A ideia é que todas as mulheres possam fazer e, ao fim de um período de dois meses, já tenham algum condicionamento físico”, completa a preparadora.

Antes de começar os exercícios em casa é imprescindível procurar informações e instruções detalhadas até mesmo para obter bons resultados. Mauro Gonçalves, professor na área de biomecânica no departamento de Educação Física da Unesp (Universidade Estadual Paulista), recomenda que a ginástica seja feita com o acompanhamento de um profissional.


==> Foto: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário