João Paulo Cuenca, Rafael Coutinho e Lucas Santtana lançam o livro Modo Avião

O quadrinista Rafael Coutinho, o músico Lucas Santtana e o escritor J.P. Cuenca lançam o livro Modo Avião. Editado pela Lote 42, a trama gira em torno de um personagem que embarca em um voo e começa a confabular com outras pessoas sobre inquietações contemporâneas. Ao longo do livro, novos encontros darão lugar a discussões sobre ansiedade, conectividade, solidão e relações humanas. 

Ao longo do livro, os desenhos do Rafael Coutinho ilustram as histórias e abrem margem para novas interpretações. Cada uma das nove pranchas está impressa em uma folha inteira de quase 1 metro de comprimento, dobrada e encadernada artesanalmente ao miolo do livro. Outros trabalhos do Coutinho, pintados em nanquim, permeiam as páginas do livro e se entrelaçam com as músicas.

“O livro precisou ser tão fundamental ao projeto quanto o texto é para a construção das cenas do disco”, diz Coutinho. “Foi o projeto mais experimental e emocional que já fiz, onde a ambição que nos moveu foi a de traduzir som em imagem, sem ser literal ou didático, buscando por um mergulho profundo no universo retratado pelo Lucas e Cuenca”.

O ensaísta e arquiteto Guilherme Wisnik escreve no prefácio do livro: "O movimento de busca que conduz a narrativa se dá em meio a uma maré de multiplicidade e ambiguidade, colocando o sujeito em um labirinto. Labirinto onde aparecem momentos de forte encontro e comunhão, como em Brasa de Dois, mas também, e sobretudo, de desencontro, evasão, incerteza e sonolência".

Para J.P. Cuenca, é importante que as artes se expandam e se contaminem com outras linguagens. "Modo Avião propõe uma experiência híbrida, no conceito e no formato, mas também nessa narrativa em que você não sabe muito bem o que é real dentro do próprio estatuto daquela ficção", diz.

A narrativa em prosa, escrita a quatro mãos, é misturada à poesia das músicas de Santtana, que lança um disco homônimo. Gravado com microfone binaural, que permite uma audição 360°, próxima do ouvido humano, o trabalho permite uma audição imersiva. As músicas são intercaladas com diálogos interpretados por atores e o próprio músico. "Modo Avião é um convite à pausa nessa sociedade do cansaço, onde ficar 10 minutos longe do celular é um esforço homérico”, afirma Santtana.

Sobre os autores            
RAFAEL COUTINHO é quadrinista, artista plástico e editor. Nascido em São Paulo em 1980, se formou em Artes Plásticas pela UNESP em 2004. Como autor, é conhecido pelos livros Cachalote, parceria com o escritor Daniel Galera (Quadrinhos na Cia, 2010), O Beijo Adolescente 1, 2 e 3 (Cachalote, 2011, 2013 e 2015), As Aventuras do Barão de Munchausen (ilustrador, Cosac Naify, 2014) e Forrest Gump (Ed. Aleph, 2016). Em 2017 lançou a novela gráfica Mensur (Quadrinhos na Cia).

LUCAS SANTTANA tem sete discos gravados. Em 2009 lançou no Brasil o disco Sem Nostalgia, considerado pela revista Bravo como um dos dez mais importantes disco do século 21. Foi lançado na Europa em 2011 e eleito o melhor disco daquele ano pelo jornal francês Libération; também recebeu 4 estrelas na revista Rolling Stone estadunidense. Seu disco O Deus que Devasta mas também Cura entrou na lista de melhores disco do ano da revista francesa Les Inrockuptibles em 2012, sendo o único brasileiro na lista ao lado de nomes como Cat Power e Jack White. Fez nove turnês internacionais nos últimos seis anos, passando por mais de cem cidades ao redor do mundo. Modo Avião é seu sétimo disco solo.

J.P. CUENCA nasceu no Rio de Janeiro, em 1978. É autor dos romances Corpo Presente (Companhia das Letras, 2013), O Dia Mastroianni (Agir, 2007) e O Único Final Feliz para uma História de Amor é um Acidente (Companhia das Letras, 2010), além das crônicas de A Última Madrugada (Leya, 2012). Seus livros foram publicados em oito idiomas. Em 2007 foi selecionado pelo Festival de Hay, do País de Gales, como um dos 39 jovens autores mais destacados da América Latina e, em 2012, foi selecionado pela revista inglesa Granta como um dos melhores jovens escritores brasileiros. É colunista do The Intercept Brasil e diretor de A Morte de J.P. Cuenca (2016), filme relacionado a seu mais recente livro, Descobri que Estava Morto (Tusquets, 2016).

Sobre a Lote 42
Fundada em dezembro de 2012, a Lote 42 se destaca no mercado editorial por sua aposta em talentos brasileiros e internacionais, projetos gráficos ousados, criação da Banca Tatuí e produção de feiras como a Miolo(s). A editora tem em seu atual catálogo livros como Fachadas (Rafael Sica), Mais Leve que o Ar (Felipe Sali), Magra de Ruim (Sirlanney), Valfrido? (Gustavo Piqueira), Bernice Corta o Cabelo (F. Scott Fitzgerald, trad. Juliana Cunha) e Inquérito Policial: Família Tobias (Ricardo Lísias), além do zine Mó. Modo Avião é o livro nº 22 da Lote 42.

SERVIÇO
O quê: Lançamento do Modo Avião na Banca Tatuí (evento no Facebook)
Onde: Banca Tatuí - rua Barão de Tatuí, 275, São Paulo, SP (mapa)
Quando: 10 de junho (sábado), às 16h20
Quanto: entrada gratuita. Modo Avião custa R$ 42,90

==> Foto: Ceciila Schiavo / Lote 42

0 comentários:

Postar um comentário