Projeto da Unesp auxilia na detecção de câncer no esôfago

Um projeto criado por pesquisadores da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Bauru (SP) tem o objetivo de detectar o câncer no esôfago. A intenção dos autores é comprovar a existência da doença a partir de um programa de inteligência artificial, segundo o professor pesquisador João Paulo Papa.

“A ideia é mostrar como é e porque existe a doença, que são as dúvidas de um paciente. O objetivo é tentar extrair informações de imagens usando programas de computador. Estas informações irão alimentar um programa de inteligência artificial capaz de dizer se há probabilidade de existir o câncer no esôfago”, explica o pesquisador João Paulo Papa.

De acordo com o professor, o câncer no esôfago é dificilmente detectado em sua fase inicial. Devido a este fator, a taxa de acertos desta pesquisa, que ainda está em fase inicial, varia de 39 a 87%. “Nós vamos aproveitá-la para construir uma base de dados maior, realista e onde doenças de todos os níveis possam ser detectadas. Ou seja, nosso objetivo é detectar a doença com 100% de acerto”, diz o pesquisador.

Os testes para a pesquisa foram feitos a partir de uma base de dados já existente, pois ela é capaz de indicar quais pacientes têm ou não a doença e comparar os acertos do programa de inteligência artificial.

A equipe da pesquisa, que está prevista para terminar em 2019, conta com o professor João Paulo, o aluno da Unesp Bauru Luís Antônio, uma pesquisadora do campus de Botucatu e dois professores que atuam em uma universidade da Alemanha. O estudo também foi aprovado em um programa de pesquisa que vai financiar para a conclusão do projeto.

Publicado originalmente em

==> Foto: Arquivo Pessoal

0 comentários:

Postar um comentário