Hilaridade Fatal - Festival de humor ganha segunda edição e ocupa a Funarte

O festival de humor que estreou em fevereiro de 2014 ganha segunda edição em 2017. Hilaridade Fatal – Festival de Brasília do Bom Humor Brasileiro reúne amantes e trabalhadores da comédia brasileira em cinco dias de espetáculos, oficinas e mostras competitivas que prometem deixar a Capital um pouco mais alegre durante sua realização. Todas as apresentações do evento contam com entrada franca e serão realizadas no Complexo Cultural da Funarte, entre os dias 15 e 19 de fevereiro de 2017.

O nome do festival é sugestivo! Se a palavra hilaridade remete à condição de quem se alegra repentinamente, hilaridade fatal é a denominação de um raro tipo de morte, decorrente de uma crise sucessiva de risos que culminam em óbito por paradas cardíacas ou asfixias. Desde a Grécia Antiga até os dias atuais, há registros reais e memórias da cultura popular que remetem à hilaridade fatal. A história nos traz até os casos recentes, com casos de óbitos em decorrência de risadas provocadas por filmes e séries de TV.

Com estas referências, um dos criadores do festival, Rogero Torquato, propõe questões ao desenhar a programação e as etapas do evento: “É possível morrer de rir atualmente? Quais são as motivações do humor na contemporaneidade?”, diz. Desta maneira, o festival se define com as seguintes etapas: Riso Aberto (mostra competitiva), Gargalhada (mostra nacional) e Tiras e Tiradas (exposição de cartuns, caricaturas e tirinhas), além de debate, oficina e sessões em asilos e orfanatos nas RAs do Gama e Ceilândia. No dia 15 de fevereiro, ao meio-dia, a Rodoviária do Plano Piloto recebe duas intervenções artísticas que prometem chamar atenção dos passantes: uma intervenção com os Irmãos Saúde (DF) e apresentações do palhaço Mateus da Lelé Bicuda (DF) e do personagem Bode Bill, de Rogero Torquato.

Para dinamizar a cena do humor local e apresentar novos talentos da cidade e do país, o festival promove a mostra competitiva Riso Aberto. Constitui-se em uma pré-seleção de 24 esquetes de comédia de até 10 minutos, humor livre e stand up, que compõe a programação do evento durante três dias de eliminatórias (08 apresentações de esquetes por dia), culminando em uma grande apresentação com os finalistas e apenas três vencedores (1º, 2º e 3º lugar), em 19 de fevereiro. As eliminatórias acontecem nos dias 16, 17 e 18 de fevereiro, a partir das 19h.

Nos três dias, além dos classificados, passarão pelo palco do Teatro Plínio Marcos os atores-personagens Ribamar Araújo, João Carlos Artigos (RJ), Carmela Veloso de Beauvoir (Diego Ponce de Leon) e Bode Bill (Rogero Torquato), constituintes do júri da seletiva. A pré-seleção para a mostra foi realizada entre os dias 20 de janeiro e 5 de fevereiro de 2017. Na competição, o vencedor em primeiro lugar recebe o valor de R$ 3.000,00, o segundo R$ 2.000,00, e o terceiro colocado leva R$ 1.000,00. As apresentações ocorrerão em formato de programa de auditório, com interação entre jurados e público, e sob apresentação dos Irmãos Saúde. A grande final conta com apresentação da banda 3 no Brega, formada pelos intérpretes Nilson Lima, André 14Voltas e Madelon Cabral.

Os talentos dos cartuns, tiras e caricaturas brasileiros também foram selecionados e apresentam suas obras em exposição montada no hall e foyer do Teatro Plínio Marcos. A mostra, que leva o nome de Tiras e Tiradas, tem como objetivo a revelação e dinamização de novos talentos destas artes. Os visitantes poderão conferir os trabalhos durante todo o tempo do festival.

A última etapa contempla nomes de expressão nacional da comédia, em mostra intitulada Gargalhada. A curadoria do festival optou por selecionar espetáculos de renome que, de alguma forma, projetam o bom humor brasileiro para o mundo.

Na abertura, dia 15 de fevereiro, às 21h, o cearense Járdeson Cavalcante apresenta a peça “Titela, a melhor parte da galinha” que acumula uma década de sucesso na TV e nas andanças Brasil afora. No dia 16, é a vez de o carioca Julio Adrião apresentar seu solo, “A Descoberta das Américas”, texto crítico sobre a colonização americana que já rodou o mundo e rendeu ao ator um Prêmio Shell.

Dia 17 de fevereiro, o Teatro Plínio Marcos recebe “A Garota da Capa”, monólogo da atriz catarinense Andréa Padilha sobre uma mulher solitária que projeta sua vida no mundo dos famosos e na high society. No dia 18, a mostra ganha seu último espetáculo, “Ciro Santos Show”, uma retrospectiva de carreira do celebrado ator cearense Ciro Santos. No dia 19, o Teatro Plínio Marcos recebe a final da mostra competitiva Riso Aberto.

O festival conta, também, com apresentações especiais do espetáculo “O Romance do Vaqueiro Benedito”, do grupo Mamulengo Presepada (DF) e do personagem Bode Bill, de Rogero Torquato. No dia 14, os dois espetáculos ganham sessão no Centro Comunitário Creche Escola do Gama; no dia 15, a trupe desembarca na Rodoviária do Plano Piloto; e no dia 19, os espetáculos são apresentados no Abrigo Lar São José, em Ceilândia, seguido da oficina “A Arte Secreta do Mamulengo”, ministrada por Chico Simões. O festival conta, ainda, com oficina de humor com Ciro Santos ministrada no Riacho Fundo, oficina de improviso para iniciantes, ministrada pela atriz Andréia Padilha na Funarte, além de mesa de debate sobre os benefícios do riso.

Hilaridade Fatal – Festival de Brasília do Bom Humor Brasileiro é uma realização da Arteviva Produções Artísticas e da Universo Criativo Produções. O evento conta com apresentação do Fundo de Apoio à Cultura da Secretaria de Estado de Cultura do Distrito Federal e apoio da Fundação Nacional das Artes.


SERVIÇO
 

Hilaridade Fatal – Festival de Brasília do Bom Humor Brasileiro
15 a 19 de fevereiro de 2017

Complexo Cultural da Funarte
Entrada Franca


Programação dia-a-dia

14 de fevereiro (terça-feira)
9h – Apresentação “O Romance do Vaqueiro Benedito” – Mamulengo Presepada (DF) + Bode Bill (DF) (Centro Comunitário Creche Escola – Gama)

15 de fevereiro (quarta-feira)
12h – Intervenção com os Irmãos Saúde (DF) + Mateus da Lelé Bicuda (DF) + Bode Bill (DF) (Rodoviária do Plano Piloto)

18h – Abertura do Ponto de Encontro do Festival e Cinédia (exibição de vídeos de humor) (Área Externa da Funarte)
21h – Abertura Oficial (Teatro Plínio Marcos)
21h15 – “Titela” – Jardeson Cavalcante (CE) (Teatro Plínio Marcos)

16 de fevereiro (quinta-feira)
18h – Ponto de Encontro do Festival e Cinédia (exibição de vídeos de humor) (Área Externa da Funarte)

19h – Eliminatória Riso Aberto (1º dia) (Teatro Plínio Marcos)
21h – “A Descoberta das Américas” – Julio Adrião (RJ) (Teatro Plínio Marcos)

17 de fevereiro (sexta-feira)
15h – Oficina de Humor com Ciro Santos (CE) (Auditório da Administração do Riacho Fundo)
18h – Ponto de Encontro do Festival e Cinédia (exibição de vídeos de humor) (Área Externa da Funarte)
19h – Eliminatória Riso Aberto (2º dia) (Teatro Plínio Marcos)
21h – “A Garota da Capa” – Andréa Padilha (SC) (Teatro Plínio Marcos)

18 de fevereiro (sábado)
14h – Oficina de Improviso para Iniciantes (Andréa Padilha/SC) (Sala de Dança Klauss Vianna)

18h – Mesa de debate: Riso é Coisa Séria com João Carlos Artigos (RJ) (Sala de Dança Klauss Vianna)
18h – Ponto de Encontro do Festival e Cinédia (exibição de vídeos de humor) (Área Externa da Funarte)
19h – Eliminatória Riso Aberto (3º dia) (Teatro Plínio Marcos)
21h – “Ciro Santos Show” – Ciro Santos (CE) (Teatro Plínio Marcos)

19 de fevereiro (domingo)
14h – Apresentação “O Romance do Vaqueiro Benedito” + Oficina “A Arte Secreta do Mamulengo” – Mamulengo Presepada (DF) + Bode Bill (DF) (Abrigo Lar São José – Ceilândia)

18h – Ponto de Encontro do Festival e Cinédia (exibição de vídeos de humor) (Área Externa da Funarte)
19h – Grande final da mostra Riso Aberto (Teatro Plínio Marcos)


PROGRAMAÇÃO DETALHADA

INTERVENÇÃO URBANA COM OS IRMÃOS SAÚDE (DF), MATEUS DA LELÉ BICUDA (DF) E BODE BILL (DF)
15 de fevereiro (quarta-feira), às 15h, na Rodoviária do Plano Piloto
Classificação Indicativa: Livre

Os Irmãos Saúde são dois dos palhaços mais conceituados do Distrito Federal. Juntos, Ankomárcio e Ruiberdan fazem uso de elementos de esquetes tradicionais, manobras acrobáticas e malabares do circo moderno para contar suas histórias. Eles são os fundadores do Circo Teatro Artetude e do grupo de cultura popular Pé de Cerrado. Mateus da Lelé Bicuda é o palhaço de um dos mais emblemáticos bonequeiros do Distrito Federal, o mestre da cultura popular Chico Simões. Bode Bill é um personagem histórico do ator e diretor Rogero Torquato. As três performances serão apresentadas simultaneamente na rodoviária do Plano Piloto, com intuito de fomentar o grande público à participação no festival Hilaridade Fatal, ao longo da semana.  

MOSTRA RISO ABERTO
Eliminatórias: 16 a 18 de fevereiro (quinta a sábado), às 19h horas, no Teatro Plínio Marcos
Grande Final: 19 de fevereiro (domingo), às 19 horas, no Teatro Plínio Marcos
Classificação Indicativa: 14 anos

Para dinamizar a cena do humor local e apresentar novos talentos da cidade, o festival promove a mostra competitiva Riso Aberto. Constitui-se em uma pré-seleção de 24 esquetes de comédia de até 10 minutos, humor livre e stand up, que compõe a programação do evento durante três dias de eliminatórias (08 apresentações de esquetes por dia), culminando em uma grande apresentação com os finalistas e apenas três vencedores (1º, 2º e 3º lugar), em 19 de fevereiro. As eliminatórias acontecem nos dias 16, 17 e 18 de fevereiro, a partir das 19h.

Nos três dias, além dos classificados, passarão pelo palco do Teatro Plínio Marcos os atores-personagens Ribamar Araújo, João Carlos Artigos (RJ), Carmela Veloso de Beauvoir (Diego Ponce de Leon) e Bode Bill (Rogero Torquato), constituintes do júri da seletiva. A pré-seleção para a mostra foi realizada entre os dias 20 de janeiro e 5 de fevereiro de 2017. Na competição, o vencedor em primeiro lugar recebe o valor de R$ 3.000,00, o segundo R$ 2.000,00 e o terceiro colocado leva R$ 1.000,00. As apresentações ocorrerão em formato de programa de auditório, com interação entre jurados e público. A grande final conta com apresentação da banda 3 no Brega, formada pelos intérpretes Nilson Lima, André 14Voltas e Madelon Cabral.

MOSTRA TIRAS E TIRADAS
15 a 19 de fevereiro (quarta a domingo), das 19 às 23 horas, no hall e foyer do Teatro Plínio Marcos
Classificação Indicativa: 14 anos

Novos talentos dos cartuns, tiras e caricaturas brasileiros passaram por processo seletivo e apresentam suas obras, em exposição montada nas pilastras do Complexo Cultural da Funarte. A mostra, que leva o nome de Tiras e Tiradas, tem como objetivo a revelação e dinamização de novos talentos destas artes. Os visitantes poderão conferir os trabalhos durante todo o tempo do festival.

MOSTRA GARGALHADA
15 a 18 de fevereiro, sempre às 21h, no Teatro Plínio Marcos

TITELA, A MELHOR PARTE DA GALINHA – JÁRDESON CAVALCANTE (CE)
15 de fevereiro (quarta-feira), às 21h, no Teatro Plínio Marcos
Classificação indicativa: 14 anos

Titela é um termo muito usado no Nordeste brasileiro. Pode se tratar, à mesa, do peito de frango ou, em sentido figurado, define a parte mais preciosa de algo: a mulher mais bonita, o melhor cargo numa empresa, ou a melhor seleção de esquetes teatrais. E este último sentido dá nome à personagem cômica vivida pelo cearense Járdeson Cavalcante em “Titela, a melhor parte da galinha”. Celebrando os 10 anos de criação da peça – e circulações por todo o país –, o ator, roteirista, diretor e criador de “Titela” abre o II Hilaridade Fatal. Suas inúmeras passagens por programas de TV (Show do Tom/Record, Saia Justa/GNT, Programa Sílvio Santos/SBT, Prêmio Multishow de Humor, entre outros) rendeu-lhe um programa próprio na TV Jangadeiro (afiliada ao SBT no Ceará) e cadeira cativa no elenco o programa MultiTom, apresentado por Tom Cavalcante, no Multishow.

Ficha Técnica
Roteiro, atuação e direção: Járdeson Cavalcante

A DESCOBERTA DAS AMÉRICAS – JULIO ADRIÃO (RJ)
16 de fevereiro (quinta-feira), às 21h, no Teatro Plínio Marcos
Classificação indicativa: 14 anos
             

O espetáculo “A Descoberta das Américas” vem, desde sua estreia, em 2005, se encontrando com os mais diversos públicos Brasil e mundo afora. Um dos maiores sucessos de bilheteria do teatro carioca, o espetáculo solo de Julio Adrião, dirigido por Alessandra Vanucci, acumula prêmios de relevância nacional (dentre eles, Prêmio Shell de Melhor Ator). O texto de Dario Fo, inspirado em fatos reais narrados pelo navegador e cronista Alvar Nuñes Cabeza de Vaca, revisita de maneira irônica e crítica a descoberta do “Novo Mundo”. Acontece que um Zé ninguém de nome Johan Padan, rústico, esperto e carismático, escapa da fogueira da inquisição embarcando, em Sevilha, numa das caravelas de Cristóvão Colombo. Nas Américas, sobrevive a naufrágios, testemunha massacres, é preso, escravizado e quase devorado pelos índios que aqui viviam. Com o tempo, aprende a língua dos nativos, cativa-os e safa-se fazendo “milagres”, com alguma técnica e uma boa dose de sorte. Venerado como filho do sol e da lua, catequiza e guia os nativos numa batalha de libertação contra os espanhóis invasores.

Ficha Técnica
Tradução e adaptação: Alessandra Vannucci e Julio Adrião
Direção: Alessandra Vannucci
Atuação: Julio Adrião
Figurino: Gabriella Marra
Iluminação: Luiz André Alvim
Montagem e operação de luz: Guiga Ensá
Produção Executiva: Fernando Alax

A GAROTA DA CAPA – ANDRÉA PADILHA (SC)
17 de fevereiro (sexta-feira), às 21h, no Teatro Plínio Marcos
Classificação indicativa: 14 anos

No espetáculo solo “A Garota da Capa”, a atriz Andréa Padilha mergulha na ilusão de uma mulher comum que se vê no universo glamouroso das revistas de celebridades e beleza. Sem uma única fala, e sob a direção de John Mowat, a personagem mora sozinha em um apartamento e tem na motivação da vida, tudo o que lê nas publicações: sente-se cercada por amigos famosos, amada por dezenas de homens e convidada para festas e viagens. A atriz catarinense iniciou a carreira no Grupo Atormenta, onde atuou de 1992 a 1998. O diretor fundou a OddBodies Theatre Company, em Londres e atualmente trabalha em projetos em Portugal, Inglaterra e Brasil.

Ficha Técnica
Com Andréa Padilha
Direção: John Mowat
Criação: Andréa Padilha e John Mowat.
Concepção de Iluminação: John Mowat e Jochen Pasternachi
Adaptação Musical: Nelson Padilha (Teclado e Acordeom) e Anderson Sauerbier (Saxofone) Figurino: John Mowat e Carlos Eduardo Silva

CIRO SANTOS SHOW – CIRO SANTOS (CE)
18 de fevereiro (sábado), às 21h, no Teatro Plínio Marcos
Classificação indicativa: 14 anos

Humor inteligente, elegante e universal. Este é o grande diferencial do trabalho de Ciro Santos, um dos mais completos artistas do grande celeiro do humor brasileiro, o Ceará. Em seu currículo, Ciro acumula a experiência de apresentações por todo o Brasil, além de Miami, Orlando, Caribe, Bariloche, Buenos Aires e Portugal. Na TV, Ciro participou de programas com Tom Cavalcante, Leão, Raul Gil, Os Trapalhões, Criança Esperança, Faustão e no exterior, de programas com o Herman José e Levanta-te e Ri, na SIC Internacional em Portugal. Trocas de figurino em cena, números com bonecos e interações com a plateia são marcas das apresentações de Ciro.
Ficha Técnica
Roteiro, atuação e direção: Ciro Santos


OFICINAS
·          
Oficina de Humor com Ciro Santos: 17 de fevereiro (sexta), às 15h, no Auditório da Administração do Riacho Fundo | 14 anos | 16 vagas | 04 horas/aula
·          
Oficina de Improviso para Iniciantes com Andéa Padilha: 18 de fevereiro (sábado), às 14h, na Sala de Dança Klauss Vianna (Funarte) | 14 anos | 16 vagas | 04 horas/aula
·          
Oficina “A Arte Secreta do Mamulengo” com Chico Simões: 19 de fevereiro (domingo), às 14h, no Abrigo Lar São José – Ceilândia | Livre | Fechada para as crianças do abrigo
·          
Inscrições: hilaridadefatal@gmail.com

A atriz catarinense Andréa Padilha apresenta oficina de improvisação para iniciantes no II Hilaridade Fatal. A oficina estabelece um convívio divertido, com criação de cenas criativas, inteligentes e cômicas, estimulando não-atores a se aproximarem do trabalho artístico, a partir de técnicas da comédia. O trabalho investiga, também, possibilidades de exploração da voz de atores iniciantes. No Riacho Fundo, o ator cearense Ciro Santos ministra oficina de humor. E no Abrigo Lar São José, na Ceilândia, Chico Simões dá oficina sobre mamulengos para crianças.


RISO É COISA SÉRIA – MESA REDONDA
17 de fevereiro (sexta-feira), às 17h30, na Sala de Dança Klauss Vianna (Funarte)
Classificação Indicativa: Livre

Alguns dos participantes do festival foram convidados para debater o riso. Profissionais do humor, sejam atores, diretores, estudiosos e pesquisadores em diversos segmentos acadêmicos participam de mesa redonda cujo tema é a importância do riso na vida das pessoas e como torná-lo mais frequente. A partir deste debate, os profissionais trarão seus exemplos de vida e carreira para estabelecer um diálogo com as teorias do riso. Apresentação: João Carlos Artigos (RJ).

PONTO DE ENCONTRO E CINÉDIA – CINEMA AO AR LIVRE
15 a 19 de fevereiro (quarta a domingo), na Área Externa do Complexo Cultural da Funarte
Horários: sempre a partir das 18h
Classificação Indicativa: Livre

Em 2017, o festival Hilaridade Fatal conta com Ponto de Encontro para o público. Serviços de alimentação e bebidas serão oferecidos e, paralelamente, a Cinédia (sucesso em 2014), ganha nova edição. Filmes e vídeos de comédia, em estrutura montada ao ar livre, transformam a área externa do Complexo Cultural da Funarte em um cinema ao ar livre. Este espaço presta uma homenagem à Cinédia, primeira empresa cinematográfica brasileira a se dedicar à produção de comédias e musicais. A produtora surgiu em 1930, no Rio de Janeiro, tendo sido idealizada por Adhemar Gonzaga e, entre dramas e comédias, foi esta organização quem popularizou um dos gêneros mais lembrados do cinema brasileiro: as chanchadas. Pela Cinédia, passaram os grandes nomes do teatro, da música e do cinema brasileiros. Só para citar alguns, estão associadas à empresa as figuras de Carmem Miranda, Carmen Miranda, Grande Otelo e Oscarito.

==> Foto: Romulo Juracy

0 comentários:

Postar um comentário