Scheidt retorna a classe Star com vitória em Nassau, nas Bahamas

Dono de cinco medalhas em Olimpíadas e 14 títulos mundiais, Robert Scheidt está de volta a classe Star. Depois do quatro lugar na Olimpíada do Rio de Janeiro na Laser, o bicampeão olímpico disputa a Star Sailors League (SSL), em Nassau, nas Bahamas. E começou bem. Na abertura da competição, nesta terça-feira (28), o brasileiro venceu a primeira regata e chegou em sétimo na segunda. Com isso, ocupa a terceira posição na classificação geral da disputa que termina domingo (4/12).

Ao lado de Bruno Prada, Scheidt venceu a primeira edição da SSL Finals, em 2013, em Nassau. Neste ano, luta pelo bicampeonato velejando ao lado de Henry Boening, o Maguila. "Só não estive em Nassau em 2015, devido à campanha olímpica. É uma oportunidade de retornar à Star em nível altíssimo, em um lugar privilegiado. É isso que me atrai na SSL Finals. Não tivemos muito tempo para treinar, mas a tendência é evoluirmos durante a competição", disse o bicampeão olímpico, que é patrocinado pelo Banco do Brasil, Rolex, Deloitte e Audi, com os apoios de COB e CBVela. "Velejar com o Robert é um prazer. É um amigo e um ídolo. Quero fazer o melhor trabalho possível, como faço há 11 anos na Star", completou Maguila.

Após o primeiro dia de regatas em Nassau, a liderança é da dupla italiana formada por Diego Negri e Sergio Lambertenghi, que fez um terceiro e um segundo lugares, e tem 5 pontos perdidos. Em segundo lugar estão os norte-americanos Mark Mendelblatt e Brian Fatih, com 6 pontos perdidos após um segundo e um quarto lugares. Robert e Maguila fecham o top 3 com 8 pontos perdidos. Mais dois barcos brasileiros estão na disputa. Jorge Zarif e Bruno Prada aparecem em quinto (10 pontos perdidos), enquanto Torben Grael e Guilherme De almeida estão em 22º (43 pontos perdidos). As regatas prosseguem na tarde desta quarta-feira (30).

A Star Sailors League reúne os 25 melhores timoneiros e proeiros da temporada de 2016. Todos estão em busca da premiação geral de 200 mil dólares (cerca de 650 mil reais). "Depois de dois anos ausente da classe Star em função do clico olímpico na Laser, é um prazer voltar a velejar neste lugar maravilhoso que é Nassau e em um barco que eu tanto gosto, que é o Star. Além disso temos um alto nível de competição. Das 25 duplas, temos 16 campões mundiais e seis medalhistas de ouro em Olimpíada", completou Scheidt que, além do título em 2013, foi quinto colocado em 2014, velejando com Bruno Prada nas duas edições.

Maior atleta olímpico brasileiro

Cinco medalhas:
Ouro : Atlanta/96 e Atenas/2004 (ambas na classe Laser)
Prata : Sidney/2000 (Laser) e Pequim/2008 (Star)
Bronze : Londres/2012 (Star)

176 títulos - 86 internacionais e 90 nacionais, incluindo a Semana Internacional do Rio, o Campeonato Brasileiro de Laser e a etapa de Miami da Copa do Mundo, todos neste ano.

Laser
Onze títulos mundiais - 1991 (juvenil), 1995, 1996, 1997, 2000, 2001, 2002*, 2004 e 2005 e 2013
*Em 2002, foram realizados, separadamente, o Mundial de Vela da Isaf e o Mundial de Laser, ambos vencidos por Robert Scheidt
Três medalhas olímpicas - ouro em Atlanta/1996 e Atenas/2004, prata em Sydney/2000

Star
Três títulos mundiais - 2007, 2011 e 2012*
*Além de Scheidt e Bruno Prada, só os italianos Agostino Straulino e Nicolo Rode venceram três mundiais velejando juntos, na história da classe
Duas medalhas olímpicas - prata em Pequim/2008 e bronze em Londres/2012

==> Foto: Martinez Studio / SSL

0 comentários:

Postar um comentário