No Dia do Bibliotecário, livros sobre livros

Em 1980, 12 de março foi instituído por decreto como o Dia Nacional do Bibliotecário. A ocasião homenageia a data do nascimento do bibliotecário, escritor e poeta Manuel Bastos Tigre. O então engenheiro, aos 33 anos, decidiu mudar de área para a Biblioteconomia. Mais tarde, entre 1945 e 1947, trabalhou na Biblioteca Nacional e depois assumiu a direção da Biblioteca Central da Universidade do Brasil.

O bibliotecário é o profissional que administra bancos de dados e se responsabiliza por classificar e armazenar documentos, além de orientar o público na busca dos títulos. Para homenageá-lo e a todos os amantes de uma boa leitura, a Editora Unesp selecionou de seu catálogo livros que tratam de livros e de bibliotecas. 


Autor: Jean Marie Goulemot | Páginas: 246 | Preço: R$ 46
O professor Jean Marie Goulemot é um ávido leitor e também um grande frequentador de bibliotecas. Assim, nesta obra praticamente autobiográfica, que remonta às suas principais lembranças, ele nos relata suas andanças por bibliotecas da França, Espanha e Estados Unidos. Traz, portanto, uma narrativa desses caminhos percorridos, mas também serve de mote para que debata sua visão romântica dessas instituições.
Goulemot discute e defende a prática da leitura pública, dos espaços comunitários em que indivíduos com sede de conhecimento se reúnem para ler. Por isso critica, de certa forma, o uso da tecnologia nesses ambientes, que estaria criando um processo de distanciamento social diante da consulta a distância de livros. Com o intuito de cativar o leitor para levá-lo a locais de relação com o livro e com outros curiosos, este ensaio é um convite às bibliotecas em qualquer lugar do mundo.
 

Impresso no Brasil

Impresso no Brasil

Organizadores: Aníbal Bragança e Márcia Abreu | Páginas: 672 | Preço: R$ 74
Prêmio Jabuti 2011- 1º lugar na categoria Comunicação
Dentre os muitos benefícios que nos trouxe a transferência da corte portuguesa para o Brasil, podemos destacar duas medidas que parecem da maior importância: a abertura dos portos e a instalação da Impressão Régia, duas janelas que abriram o Brasil para o mundo, do ponto de vista político e cultural. A primeira decisão foi de efeito imediato; a segunda, de resultado um pouco mais tardio, pois a Impressão Régia visou, inicialmente, apenas à publicação dos atos oficiais, mas em curto espaço de tempo passou a publicar obras que abrangeram quase todos os campos do conhecimento. Visto no contexto em que a Impressão Régia funcionou, seu desempenho foi excepcional e abriu caminho para o desenvolvimento cultural brasileiro, pois proporcionou o surgimento de um número crescente de editores no século XIX.
 

A mão do autor e a mente do editor

A mão do autor e a mente do editor

Autor: Roger Chartier | Páginas: 354 |  Preço: R$ 54
Nos ensaios que compõem este livro, Chartier – dialogando com autores como Braudel, Febvre, Ricoeur e Freud – analisa esses processos, abordando as continuidades e rupturas em relação ao tratamento que é dado aos livros nas editoras dos dias atuais. O cuidadoso exame de palavras, sentenças, pontuação e traduções emoldura o quadro da produção do livro através do tempo. Estão em foco os autores que vêm se dedicando ao exame minucioso dessas camadas de sedimentos textuais, em busca dos rastros que o processo editorial deixou depositados sobre os textos no decorrer da História. Tomando as obras de Cervantes e Shakespeare como exemplo dos efeitos e variações “impressos” pelo processo editorial, Chartier investiga também a constituição do cânone literário e a noção de autoria nos séculos passados.
 
Organizadora: Aparecida Paiva | Páginas: 216 | Preço: R$ 40
As escolas públicas de ensino básico têm acesso a livros de literatura nacional e estrangeira, além de materiais de pesquisa, garantido pelo Programa Nacional de Biblioteca da Escola (PNBE), instituído em 1997. As obras, porém, nem sempre alcançam os estudantes e docentes. O principal motivo, de acordo com a organizadora desta obra, Aparecida Paiva, é a falta de políticas públicas consistentes e continuadas de formação de leitores, acompanhadas de projetos sólidos de mediadores de leitura.


Confira abaixo outros títulos relacionados
Os desafios da escrita, de Roger Chartier (144 páginas,  R$ 34)
Acessibilidade em ambientes informacionais digitais, de Juliane Adne Mesa Corradi (248 páginas, R$ 48)

==> Foto: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário