MOSTRA REÚNE TRABALHOS DE 24 ARTISTAS NA CAIXA CULTURAL BRASÍLIA

Resultado da seleção de obras de artistas iniciantes de todo o Brasil feita no ano passado, a Mostra bienal CAIXA de novos artistas chega à CAIXA Cultural Brasília no dia 15 de março e fica em cartaz até 1º de maio. Com 36 trabalhos selecionados por Fernando Oliva e Rosemeire Odahara Graça, que também assina a curadoria, a mostra apresenta obras de 24 artistas em fotografia, escultura, pintura, gravura, desenho, objeto, instalação, videoinstalação, intervenção e novas tecnologias. A exposição já passou pelas unidades da CAIXA Cultural de Curitiba e São Paulo e vai circular, pela ordem, em Fortaleza, Recife, Salvador até chegar ao Rio de Janeiro, onde encerra a temporada em dezembro.

Voltado exclusivamente para as artes visuais, o projeto de apoio à cultura promovido pela CAIXA recebeu 1.977 obras de 860 artistas. Os critérios de escolha foram originalidade, experimentação, inovação, conceito, qualidade artística e contemporaneidade. "Escolhemos as obras que tivessem um valor em si mesmas e que conversassem com as propostas contemporâneas de arte", explica Rosemeire.

No processo de seleção, a dupla também levou em consideração a viabilidade técnica das obras e as limitações dos espaços físicos das unidades da CAIXA Cultural em receber certas propostas artísticas. Outro critério adotado foi o de escolher apenas os artistas iniciantes que ainda não tivessem exibido trabalhos em exposição individual. Foram selecionados artistas de São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná, Ceará e Distrito Federal, que participarão dos lançamentos da Mostra em cada unidade da CAIXA Cultural.

Formado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de Brasília, Ricardo Theodoro foi o selecionado do Distrito Federal, com a obra Topografia íntima (2014). Especialista em fotografia e mestre em poéticas contemporâneas, o artista já participou de exposições coletivas e explica sua obra tridimensional selecionada para a Bienal CAIXA como a materialização de topografias ficcionais. “Na imaginação, o sólido se torna fluido, a superfície descola como uma pele, numa leve tensão superficial de uma massa informe. Paira como topografia cambiante que toma forma da energia do ar dissipando”, resume.

Os outros artistas participantes são Ângelo Brandelli Costa (RS), Betina Silva Guedes (RS), Bruno Bernardi (SP), Caio Custódio Pacela (RJ), Calvin Rilho Maister (RS), Claudia Dias Elias (RJ), David Magila (SP), Eduardo Luiz de Freitas (PR), Felipe Fessler Vaz (RJ), Filipe Acácio (CE), Flora Rebollo (SP), Gilio Mialichi Neto de Oliveira (SP), Letícia Castro Simões (SP), Lucas Ribeiro de Melo Costa (SP), Maíra Yuri Fukimoto de Oliveira (SP), Marcelo Armesto dos Santos (RS), Mariana da Silva Rocha (RJ), Nubia Abe (SP), Pedro Augusto Gonçalves Ribeiro de Andrada (SP), Poliana Matos Pieratti (RJ), Roberto Martins de Ulhoa Cavalcanti (SP), Rodrigo Moreira (SP) e Simone Cupello do Nascimento (RJ).

Cronograma da Mostra bienal CAIXA de novos artistas

Brasília: 15 de março a 1º de maio
Fortaleza: 17 de maio a 3 de julho
Recife: 12 de julho a 21 de agosto
Salvador: 30 de agosto a 16 de outubro
Rio de Janeiro: 1º de novembro a 31 de dezembro de 2016

Serviço:
Mostra bienal CAIXA de novos artistas
Local: Galeria Vitrine da CAIXA Cultural Brasília (SBS Quadra 4 Lotes 3/4)
Abertura: 15 de março, às 19h
Visitação: 16 de março a 1º de maio de 2016; de terça-feira a domingo, das 9h às 21h
Classificação indicativa: livre

==> Foto: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário